• Coordenação: Carla Fernandes e Pablo Sauce
  • Horário: Quinzenalmente às sextas-feiras, das 10:30h as 12:00h.
  • Início: 22 de março

Neste ano de 2019 pretendemos investigar o estatuto da interpretação nos casos que envolvem o recurso à droga como forma de tratamento do sofrimento. Abordaremos o discurso capitalista e o fazer do analista na clínica das toxicomanias e adições. A questão que nos interroga é a seguinte: como situar a interpretação e qual o tratamento possível quando não está em jogo a principio a produção de um saber sobre o sofrimento?